Descubra como a empatia e a tecnologia podem melhorar o seu atendimento

Atendimento é uma das palavras mágicas se você quiser ter sucesso em praticamente qualquer negócio hoje em dia.

Eu sempre fui meio obcecado por esse fator, por isso sempre vou em palestras e leio vários livros sobre o assunto. Tudo isso buscando fazer coisas diferentes para melhorar a experiência dos meus clientes, tanto no Simples Dental quanto em minha clínica.

Com um bom atendimento o seu paciente não vai pensar duas vezes quando for voltar, e isso já deve começar a acontecer quando o paciente ligar ou entrar na sua clínica.

Por isso, não poupe esforços para escolher a sua recepcionista!

Ela tem que ser educada, simpática, ter agilidade no agendamento e ser bem treinada para responder a grande maioria das perguntas.

Os nossos pacientes de hoje também não são mais os mesmos de alguns anos atrás.

Eu sou formado há três anos e os pacientes que eu atendo atualmente estão diferentes de quando eu comecei. Colegas formados há mais tempo provavelmente veem essa mudança muito mais nitidamente.

A internet e os smartphones facilitaram muito o acesso a conteúdos que antes não eram fáceis de encontrar. Agora os nossos pacientes sabem como são e como funcionam os tratamentos.

Muitas vezes eles já chegam no consultório com uma dúvida bem específica, por outro lado eles não têm habilidade técnica para avaliar o nosso trabalho.

Provavelmente, você conhece dentistas que são ótimos na parte técnica, mas não sabem lidar com o pacientes e por isso não se dão tão bem.

O contrário também acontece! Dentistas que não são os melhores do mundo na parte técnica, mas têm consultórios cheios. Isso acontece porque os pacientes gostam deles.

Lógico, isso não é motivo para você sair por aí fazendo tratamentos mal feitos, já que hoje em dia não existe mais espaço para má qualidade em nossos trabalhos.

O importante é você se preocupar, tanto com o antedimento, quanto se preocupa com o tratamento.

Mas como você faz as pessoas gostarem de você?

Até pode ser uma coisa fácil para alguns, mas existe toda uma ciência quando se trata de relacionamento entre pessoas.

Eu gosto muito do livro “A Arte de Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”. Também tem muito conteúdo legal na internet falando sobre esse assunto. Se você tiver um tempinho, dá um pesquisada depois.

De uma maneira bem sucinta, para uma pessoa gostar de você, é necessário criar uma conexão.

Sabe quando começamos a conversar com alguém e pensamos, “Poxa, que pessoa legal”?. Então, essa pessoa criou uma conexão com você e, provavelmente, é parecida, gosta de coisas em comum e também prestou atenção nas coisas que você falou.

Todo mundo gosta de falar das coisas que gosta de fazer.

Seja um esporte, um jogo, família ou o trabalho. Para você ser uma pessoa mais legal, deixe seus pacientes lhe contarem essas coisas e converse sobre isso.

Perguntas como: “Você pratica algum esporte?”, “Tem filhos?” ou “O que você costuma fazer nos fins de semana?”, são perguntas que ajudam muito a criar as conexões.

Se você já faz isso no seu consultório, você é uma pessoa super legal e os pacientes te adoram, muito bom!

Mas você anota oque o paciente te fala?!

Anotar essas informações é tão importante quanto fazer as perguntas que eu dei como exemplo, isso porque no próximo atendimento, você vai usar essas informações para continuar a conversa.

Vou te dar um exemplo: um paciente meu gosta de correr e ele ia ter uma maratona no fim de semana. Na semana seguinte, quando ele veio no consultório, perguntei como foi a maratona. Essa troca de informações gera uma conexão.

O seu paciente vai pensar: “Ele lembra até da minha maratona!”. Você pode fazer a mesma coisa com nome do filho ou com algum passeio que ele vai fazer.

Além de uma boa conversa, seu paciente vai precisar de conforto.

Por isso, tenho uma Smart TV dentro do meu consultório, e já gosto de perguntar na anamnese o que o paciente gosta de assistir.

Assim, quando ele entra para fazer a consulta, posso colocar no Netflix ou Youtube.

Você também pode comprar um Chromecast, que é um dispositivo que você pluga no HDMI da sua TV e transforma o aparelho em smart. É muito mais barato e abre a possibilidade de fazer esse mimo.

Não tem TV no consultório? Sem problemas, esse não é o único jeito de dar ao paciente esse tipo de conforto.

Se você não tiver uma televisão, caixas de som também são uma ótima pedida. Assim, pode usar programas como o Spotify, Google Music ou Deezer para agradar o paciente com as músicas preferidas dele.

Esses atos fazem total diferença no seu atendimento, pois o seu paciente perceberá que você se preocupa com o bem estar dele.

Desse jeito, você sempre será lembrado quando ele e as pessoas ao redor dele precisarem de um dentista.

Você tem alguma outra técnica no consultório e quer compartilhar com a gente? Deixe os seus comentários aqui embaixo!

 

Ramon Maciel

Ramon Maciel cirurgião dentista e co-founder do Simples Dental. Responsável pelo marketing e atendimento dos produtos. Viu que contar historias é legal, mas fazer história é muito mais desafiador.

Ramon Maciel

Ramon Maciel

Ramon Maciel cirurgião dentista e co-founder do Simples Dental. Responsável pelo marketing e atendimento dos produtos. Viu que contar historias é legal, mas fazer história é muito mais desafiador.

Você pode gostar...

Deixe um comentário