Aprenda a calcular a hora clínica em seu consultório odontológico e entenda seu impacto

abril 25, 2024

Como calcular a hora clínica odontológica e seu impacto

Qualquer dentista preocupado em ter uma clínica ou consultório financeiramente sustentável no mercado já deve conhecer o conceito de hora clínica: o valor, em dinheiro, que você deve receber pelo seu trabalho, por hora. 

Entender esse dado é importante para saber se seu salário está dentro da média nacional — atualmente, no Brasil, o dentista ganha cerca de R$ 4.316 por mês —, se é preciso atender mais pacientes ou rever a tabela de preços, entre outros pontos. 

Por isso, hoje vamos falar sobre como fazer o cálculo de hora clínica, o que deve ser considerado, fatores que influenciam no valor final e de que forma ele impacta na sua clínica ou consultório. Continue a leitura para descobrir. 

Como fazer o cálculo? Veja o passo a passo

Muitos profissionais da odontologia podem não se sentir à vontade na hora de fazer o cálculo de hora clínica. Isso ocorre principalmente por pensarem ser algo muito complexo, quando, na verdade, é bem simples.

Porém, antes de fazer o cálculo, é preciso entender que existem dois tipos de valor de hora clínica: a geral e a de atendimento. Entenda a diferença: 

Hora Clínica Geral

A Hora Clínica Geral estima quanto você deveria ganhar em cada hora trabalhada, mas é mais generalista. Isso porque o cálculo acaba sendo feito como se sua clínica ou consultório estivesse sempre em operação máxima: sem nenhuma pausa entre atendimentos, durante todo o horário de funcionamento.

Descrição do cálculo de hora clínica geral.

Hora clínica de atendimento

Já a Hora Clínica de Atendimento pode ser considerada mais realista, já que se baseia nas horas realmente dedicadas ao atendimento. Ou seja, acaba trazendo como resultado o valor mínimo que você realmente deveria receber por hora.

Descrição do cálculo de hora clínica de atendimento.

Critérios que devem ser considerados para o cálculo de hora clínica

Para que a conta seja bem-feita, é preciso considerar alguns custos e ganhos do dia a dia da sua clínica. Em resumo, podemos listar:

  • Custos fixos: gastos que permanecem constantes, independentemente do volume de atendimentos, como aluguel do espaço, contas de água e luz, salários dos funcionários, etc.
  • Taxas e impostos: aqui estão gastos relacionados aos deveres fiscais da clínica, como o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica e o Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza. 
  • Salário desejado: considere quanto você pretende receber mensalmente, considerando o mercado e seu nível de experiência. Na conta da clínica, isso também é um custo. 
  • Margem de lucro: avaliando tudo o que você precisa bancar, é interessante que os atendimentos cubram os gastos totais e ainda sobre dinheiro. Essa diferença é a margem de lucro, valor necessário para planejar e executar investimentos e conseguir manter a clínica economicamente sustentável. 
  • Tempo de funcionamento da clínica: quantos dias da semana a clínica fica aberta? Por quantas horas? É importante ter clareza sobre isso. 
  • Número de cadeiras do consultório: se a clínica possui várias cadeiras, é importante também ter esse valor. Afinal, isso impacta no que é recebido e também nos custos.  
  • Tempo de atendimento a pacientes: de todo o tempo em que a clínica fica aberta, quanto, em média, é realmente usado para atender pacientes? Esse dado torna a conta mais realista. 

Outros fatores que podem influenciar a sua hora clínica

Vale lembrar que cada consultório e cada profissional precisam levar outros fatores em consideração que também impactam no dia a dia de trabalho para obterem um valor de hora clínica mais assertivo. Entre esses fatores, é possível destacar:

Pontos que também impactam na hora clínica.
  • Valor médio de mercado: para entender esse valor, é preciso fazer uma pesquisa sobre quanto é cobrado por outros profissionais na sua área em clínicas similares.
  • Localização do consultório: clínicas em áreas urbanas, por exemplo, podem ter custos mais altos, como o de aluguel, e, assim, também precisam cobrar mais.  
  • Público-alvo: não se esqueça de considerar o perfil dos seus pacientes. Por exemplo, se você atende um público com maior poder aquisitivo, pode justificar um preço mais alto.
  • Conhecimento e especializações: profissionais especialistas podem justificar uma hora clínica mais cara, mas precisam comunicar esses diferenciais aos pacientes de forma assertiva. 

Esses pontos não aparecem nas fórmulas citadas anteriormente, mas devem ficar na mente do profissional da odontologia, pois ajudam a entender se há oportunidade para aumentar a margem de lucro ou necessidade de alguma reavaliação quanto aos preços. 

De que forma o valor da hora clínica impacta os negócios de um consultório?

Fazer o cálculo de hora clínica de forma correta é muito importante, já que esse valor impacta no negócio e em seu funcionamento de forma adequada. Veja: 

☑️ Sustentabilidade financeira

É a partir da cobrança adequada por suas horas de serviço que se torna possível ter uma boa margem de lucro. Isso é essencial para que você possa investir em equipamentos, novos produtos, métodos inovadores, entre outras coisas que ajudarão sua clínica a manter-se firme no mercado. Lembrando que a sustentabilidade financeira também depende de uma gestão bem-feita, que acompanha e considera detalhes do fluxo de caixa.

Baixe a nossa Planilha Meu Financeiro.

☑️ Precificação justa e correta

O preço dos serviços oferecidos precisa ser justo tanto para você, quanto para o paciente. É claro que existirão casos em que clientes podem querer negociar, mas ao ter clareza sobre quanto vale sua hora clínica, você garante retorno sobre seu trabalho. 

☑️ Eficiência operacional

Dependendo do resultado da hora clínica, principalmente a de atendimento, fica mais claro, por exemplo, se a quantidade de atendimentos que estão sendo feitos na clínica mensalmente é suficiente para manter a saúde financeira do negócio ou se o valor do ticket médio está dentro do que é razoável.

Assim, caso o dentista identifique que precisa fazer mais atendimentos, por exemplo, ele poderá avaliar se há condições de contratar uma secretária para auxiliá-lo em tarefas administrativas enquanto se dedica à sua agenda, entre outros pontos que envolvem a eficiência operacional.

❌ Custos descontrolados

Já ficou claro que a clínica poderá estabelecer preços que ajudem a cobrir todos os custos e garantam uma margem de lucro saudável. Mas, além disso, também terá uma visão clara sobre o quanto pode gastar com coisas que não são extremamente necessárias, definindo novas compras de forma mais controlada. 

❌ Sobrecarga de trabalho

Com a visão clara sobre quanto é preciso trabalhar para alcançar os resultados esperados, é possível planejar um volume de atendimentos com mais calma, sem precisar de uma força-tarefa de última hora, que desgasta qualquer profissional.

Compartilhe:

Conteúdos
relacionados

Nenhuma postagem encontrada.