Odontograma: o que é, qual a importância e como preencher

Odontograma o que é

Saiba tudo sobre o odontograma e descubra como escolher a solução perfeita para otimizar a rotina da sua clínica!

Você também acha que fica muito mais fácil guardar os dados dos pacientes com o odontograma? Ou ainda não usa essa ferramenta valiosa? É muito importante conhecer bem esse recurso, e saber escolher o modelo mais adequado à rotina do consultório.

___________________________________________________________

MENU DE NAVEGAÇÃO

O que é um odontograma e para que ele serve?

Quais os principais tipos deste procedimento odontológico?

Importância de fazer o odontograma

Como o odontograma deve ser preenchido?

Como escolher o melhor software para odontograma digital?

Rotina mais fácil e segura no consultório!

___________________________________________________________

O que é um odontograma e para que ele serve?

A vida diária do dentista é tão corrida que é difícil lembrar de cada detalhe de todos os pacientes. E uma das formas mais eficientes para não esquecer nada entre uma consulta e outra é usando o odontograma. 

Parte importante da documentação odontológica, ele é uma representação gráfica de todos os dentes do paciente. Identificados por números, letras ou qualquer outra nomenclatura que possa ser facilmente visualizada e entendida pelo dentista.

Pode ser também que você conheça o odontograma por outros nomes. Como diagrama dental ou periodontograma. 

Mas, o importante é que, como podem ser representadas tanto a dentição primária quanto a final, o documento é um registro valioso de todos os tratamentos dentários já feitos pelo paciente. 

Inclusive, no caso das crianças, o odontograma deve apresentar o registro de ambas as dentições. Por isso, o documento precisa ser anexado ao prontuário, da mesma forma que a anamnese.

Além disso, é recomendável que sejam feitos dois odontogramas, um logo após a anamnese, na primeira avaliação do paciente, e o segundo depois do término do tratamento, mostrando as alterações.

 

Quais os principais tipos deste procedimento odontológico?

Claro que um registro tão completo é uma grande ferramenta no dia a dia do dentista, dando mais segurança, qualidade e agilidade no consultório. Por isso é muito interessante conhecer os três tipos de odontograma.

Odontograma geométrico 

Nesse tipo de odontograma, todas as cinco faces dos dentes podem ser representadas através de formas geométricas, como círculos e quadrados. 

Odontograma anatômico

Já o odontograma anatômico representa os dentes exatamente como são encontrados na boca de cada paciente. Para isso, o dentista desenha ou digitaliza a estrutura bucal exatamente da forma como a vê.

 

Odontograma dois dígitos

Esse tipo de odontograma foi proposto pela Federação Dentária Internacional e é aquele em que o primeiro número designa o quadrante e o segundo a posição do dente.

Importância de fazer o odontograma

Por ser uma representação gráfica da boca do paciente, a visualização da condição geral é bem rápida, assim como do dente que precisa ser tratado.

Além disso, o odontograma é também uma peça complementar importante à própria anamnese, ajudando o dentista a visualizar o que já foi feito. Conhecendo o histórico de tratamentos, o diagnóstico é mais rápido e o dentista tem mais segurança em planejar o caso. 

Por outro lado, fica muito mais fácil e seguro trocar informações com os outros dentistas, agilizando a rotina da clínica e também dos pacientes.

Mas a ferramenta também pode ser uma aliada poderosa na hora de fazer o paciente entender a real situação bucal e ajudá-lo a compreender os procedimentos propostos. Com o odontograma é bem mais simples ilustrar o caso e os resultados que poderão ser obtidos com o tratamento.

Outros usos do odontograma 

A importância do odontograma vai além da cadeira do dentista. Essa ferramenta pode, por exemplo, ajudar na identificação de cadáveres. Afinal, os dentes são estruturas muito resistentes, que podem levar décadas e até séculos para se decompor – e ainda podem resistir à carbonização.

Por isso, a comparação do odontograma com a arcada dentária é utilizada para fazer o reconhecimento de corpos, mesmo muitos anos após o falecimento. 

Mas você sabia que o odontograma também pode ser uma proteção jurídica para o próprio dentista? Isso porque ele um instrumento de proteção legal, que funciona como evidência de idoneidade no caso de processo de algum paciente insatisfeito.

 

Como o odontograma deve ser preenchido?

Provavelmente nem é do seu tempo a época em que o odontograma era desenhado a mão. Além de ser um trabalho cansativo, tomava muito tempo da rotina do dentista. 

Isso sem falar nos arquivos físicos que eram facilmente perdidos e no espaço extra necessário para guardar o prontuário de cada paciente. Agora nada disso é necessário, já que o odontograma pode ser digital, muito mais fácil de ser produzido, atualizado, guardado e até compartilhado.

Já a forma de preencher o odontograma vai depender de cada dentista e do seu jeito de trabalhar. Mas é importante seguir alguns padrões para que os demais profissionais que precisarem ter acesso a ele consigam compreender as informações.

Veja algumas dicas:

  1. Especifique os dentes fixos e os removíveis, ambos de forma detalhada;
  2. Sinalize a presença de alterações como: cáries, ausência de dentes, dentes em erupção, coroas definitivas e provisórias, dentes, fraturados, extruídos ou instruídos, diastemas, implantes, parafusos e próteses fixas, removíveis ou totais;
  3. Inclua detalhes, desde os técnicos até as faces restauradas e o material usado, enfim, todas as informações gerais relevantes;
  4. Anote no odontograma os fatores de risco do paciente;
  5. Use cores padronizando as informações, como pintar de vermelho o dente que precisa de tratamento e cobrir com verde depois de tratado; dois riscos verticais em azul para os diastemas; ou um semi-círculo vermelho posicionado para cima e com traçado contínuo para cárie ativa com cavidade, por exemplo.

Há muitas formas de sinalizar os procedimentos além das cores, como números e letras, mas o importante é que todo esse processo está cada vez mais fácil e moderno, podendo ser feito de forma totalmente digital.

Mas é importante saber escolher o software certo, pois o documento precisa ser atualizado após cada procedimento. Por isso, ele deve ser prático e fácil de preencher e modificar. 

Como escolher o melhor software para odontograma digital?

Esses são apenas alguns detalhes, mas há muitos outros que colaboram para as boas práticas na clínica odontológica e tornam todo o trabalho dentista mais seguro, prático e eficiente

Então, sim, o odontograma é um processo trabalhoso quando feito fisicamente, e que pode se perder com facilidade quando está no papel. E isso vai ser uma dor de cabeça que você não precisa, certo?

Por isso o odontograma digital é de longe o que oferece mais vantagens ao dentista, principalmente quando, assim como a anamnese digital, já está incluído no prontuário digital.

Mas como saber se o software para odontograma digital é o melhor para te ajudar de verdade no dia a dia do consultório? Preste atenção nessas dicas!

  • O odontograma deve estar integrado a outras ferramentas tecnológicas que ajudam o dentista, como o prontuário digital e a anamnese completa digital. Assim, todas as informações de cada paciente ficam centralizadas e fáceis de acessar rapidamente a qualquer momento e de qualquer lugar. E também facilita o compartilhamento com os demais dentistas;
  • Escolha um software que ofereça toda segurança às informações de seus pacientes e da sua clínica. O Simples Dental é tão seguro quanto seu banco: todos os dados que você inserir em qualquer das ferramentas são armazenados  em nossos servidores, hospedados na Amazon;
  • Para otimizar ainda mais sua rotina, o odontograma integrado a essas outras ferramentas digitais deve fazer parte do software de gestão da sua clínica ou consultório;
  • Além do cadastramento rápido e completo de cada odontograma, o software deve permitir a visualização da arcada dentária em todas as suas faces. E no Simples Dental você também pode selecionar mais de um dente por vez, otimizando ainda mais a sua consulta;
  • Não perca tempo passando as informações manualmente de um local para o outro: no Simples Dental todos os dados são importados e organizados rapidamente do seu software antigo para a nossa plataforma;
  • O sistema também deve permitir que sejam feitas modificações nas informações inseridas, como no caso de um preenchimento errado, por exemplo;
  • Atenção: para facilitar ainda mais, o padrão de preenchimento o odontograma deve ser compatível com os mais utilizados atualmente;
  • Precisa imprimir ou fazer o download do odontograma? O software também deve ter essa função de forma rápida e fácil.

 

Rotina mais fácil e segura no consultório!

Em suma, além de o odontograma reunir o histórico clínico de saúde bucal do paciente, é possível conhecer procedimentos realizados mesmo por outros profissionais, compartilhar informações rapidamente com outros dentistas e até fazer um reconhecimento de cadáver, se necessário.

Além disso, com o odontograma digital do Simples Dental também fica mais fácil conscientizar o paciente sobre o estado da boca e preencher orçamentos e planos de tratamento de forma mais rápida, simples e visual. 

Que tal experimentar o Simples Dental por 7 dias e descobrir como otimizar a rotina do consultório com muito mais qualidade? 

Você pode gostar...

Deixe um comentário